top of page
  • Foto do escritorEconomista Adriano Fabri

O Tripé do Sucesso Empresarial



O sucesso empresarial, dentro da definição que ele tenha para cada um, é certamente o maior desejo de todo empreendedor, mas nem sempre e na maioria das vezes é o que acontece. Ao analisar as tristes estatísticas que o Sebrae-SP vem apontando em suas pesquisas sobre a mortalidade empresarial nos últimos anos, em que mais da metade das empresas encerram suas atividades até o 5º ano de existência e que resultam, além da perda de patrimônio, em sonhos destruídos, frustração e, muitas vezes, no trauma de empreender.


Mas se o sucesso é o que os empreendedores mais desejam, por que a maioria não consegue? O que precisa ser feito para que sonhos sejam realizados?


Alguns questionamentos podem conduzir a essa resposta:

  • Por que bons produtos não bastam?

  • Por que empresas com os mesmos recursos alcançam resultados diferentes?

  • Por que apenas 3% das empresas alcançam 30 anos de existência?

Ao entendermos como os resultados empresariais são alcançados, teremos todas essas respostas.


As empresas que conquistaram as posições desejadas ou que foram além do que imaginavam tiveram suas trajetórias pautadas em 3 fatores: ATITUDES EMPREENDEDORAS, COMPETÊNCIA TÉCNICA e COMPETÊNCIA EM GESTÃO.


As Atitudes Empreendedoras representam um conjunto de comportamentos presentes em todo empresário bem-sucedido e entre elas estão: Capacidade Visionária, Proatividade, Capacidade para Transformar Sonhos em Objetivos, Hábito de Planejar e Controlar, Coragem para os riscos (calculados), Fazer as coisas com Qualidade, Capacidade de Influenciar as Pessoas e a de Formar Network Estratégico, tudo isso somado a muita Persistência e muito Comprometimento. Ao estudarmos a história de grandes empreendedores desde o Império, como o Barão de Mauá, até os empreendedores da nossa época, veremos neles atitudes que demonstram esse comportamento.


Competência técnica é a expertise para fazer aquilo que se propõe a fazer, da forma que se pretende fazê-lo. No ambiente competitivo é pré-requisito ter um ótimo produto que contempla, é claro, toda a experiência do atendimento. A capacidade que temos para resolver as dores dos nossos clientes e os motivos que temos para que eles decidam por uma empresa em detrimento a outras vão determinar esse tipo de competência.


A Competência em Gestão é outra condição para a busca da tão desejada posição no pódio empresarial. Gestão Comercial, Marketing, Gestão de Produção (ou de operações), Gestão de Pessoas e a Gestão Financeira, que representa o GPS e os equipamentos de segurança empresarial, são as áreas de conhecimentos que vão determinar os resultados. Desatenções nessas áreas certamente podem comprometer o destino corporativo.


Portanto, não há de se esperar que o sucesso venha por sorte ou apenas fruto de muito trabalho ou de motivação. Todo esforço e dedicação devem resultar no tripé competência técnica, competência em gestão e comportamento empreendedor. Não há uma ordem e nem grau de importância, mas investir em gestão poderá ter como efeito colateral desenvolver as outras duas condições.


Por onde começar? Uma boa gestão financeira irá dar a empresa os principais indicadores para tomadas de decisões que irão nortear o que precisa ser feito para melhorar os resultados e, no final das contas, apesar da relatividade do que representa o sucesso para cada um que chegou até aqui, uma representação indiscutível está relacionada com a capacidade do negócio em remunerar o capital investido em tal proporção e tempo que garanta a perpetuidade do negócio.


E a sua empresa, como está em relação a esse tripé? Vale a reflexão e AÇÃO.


Economista Adriano Fabri

Fundador e Diretor da AFBR Group Desenvolvimento Corporativo e Humano

Yorumlar


bottom of page